Residente desenvolve sistema operacional para mineradoras que estão nas cercanias de corpos de água

Residente desenvolve sistema operacional para mineradoras que estão nas cercanias de corpos de água

17/04/2018

A Vortex Mundus é uma empresa de integração e interface entre pesquisa e consultoria em engenharia com foco no serviço de modelagem operacional e estudos ambientais para os setores de mineração, portuário, marítimo, hidroviário, náutico e costeiro.

Residente da Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ, a startup está desenvolvendo o Modelo Operacional Brasileiro Integrado (MOBI) para dar suporte aos setores de mineração, portos e navios e para a indústria de óleo e gás. O objetivo do “MOBI” é dar agilidade e diminuir custos de licenciamento ambiental e contingência em caso de acidentes, como derramamento de óleo, deslizamento de terra e rompimento de barragens. A partir da modelagem matemática desenvolvida pela empresa é possível não só prever como conter possíveis riscos e impactos para o meio ambiente.

No setor de mineração, o sistema operacional da empresa é desenvolvido para mineradoras que se encontram nas cercanias de corpos de água. O sistema gera uma previsão de correntes facilitando instalação de equipamentos submarinos, operações de barcaças e diminuindo o tempo de resposta em casos de acidentes como no caso da Samarco.  A Vortex também oferece serviço de modelagem de qualidade de água e dispersão de pluma, para dispersão de poluentes, controle de barragens, pluma de refrigeração de máquinas, navegação entre outros.

O diferencial da Vortex é justamente o desenvolvimento de um modelo operacional de base, ainda inexistente no país, de forma customizada para as companhias, independente do setor que elas atuam. Atualmente no Brasil não existe a prática de desenvolvimento de modelos operacionais e por isso ainda ocorrem muitos desastres ambientais, que poderiam ser evitados com um modelo desses.

“A partir da modelagem matemática é possível prever vazamentos, acidentes, riscos e impactos. Ela informa em tempo real todas as informações necessárias para a contenção dos estragos causados por acidentes ambientais. O sistema busca as equações físicas para onde vai a água ou a lama e os programa consegue calcular todo o percurso que irá fazer”, explica Fernanda Achete, sócia da Vortex.