Pegada ecológica e reciclagem

Pegada ecológica e reciclagem

16/04/2014

Você já pensou em qual é a marca que a sua empresa deixa no planeta? Na década de 1990, foi criado um novo conceito no universo da sustentabilidade: a Pegada Ecológica. Ela surgiu para nos ajudar a medir o volume de recursos naturais que utilizamos para sustentar nosso estilo de vida. É possível calcular a Pegada Ecológica de cidades, países e até de todo o planeta.

No gráfico abaixo, a Global Footprint Network aponta que, se a humanidade continuar com padrão de vida atual, necessitará, em 2050, de mais de dois planetas para mantê-lo.

grafico

Essa previsão nos alerta que é urgente uma mudança de atitude, que pode partir de decisões políticas, econômicas, institucionais, empresariais, culturais e, principalmente, de cada indivíduo. Essa mudança requer um processo complexo de conscientização sobre a responsabilidade do homem como parte da natureza. Além disso, é preciso aprimorar o olhar das pessoas fazendo com que percebam que algumas das consequências dos problemas ambientais já estão acontecendo hoje, não são meras projeções para o futuro.

Todos os dias fazemos escolhas sobre o que consumir e o que descartar. O nosso nível de consumo está diretamente relacionado ao nosso nível de descarte. Quando falamos em estilo de vida falamos, inclusive, do modo como as pessoas se alimentam, se locomovem, consomem, fazem compras, descartam resíduos, etc. Um dos hábitos diários do homem é o descarte de lixo, resíduo decorrente de processos humanos (nos processos naturais, a natureza recicla, transforma ou reutiliza os produtos gerados). lixo

Quando se pensa em desenvolvimento sustentável é fundamental considerar a reciclagem como parte do ciclo de vida dos produtos. Reciclar significa “repetir o ciclo”.

Com o objetivo de dar o pontapé inicial para esta mudança de atitude, a Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ começou este mês um sistema de coleta seletiva nas áreas de uso comum de suas dependências. Este sistema será integrado ao processo de reciclagem executado na Cidade Universitária pelo Recicla UFRJ e utiliza dois tipos de lixeiras: azul para lixo reciclável e cinza para não reciclável. É fundamental a colaboração e empenho de todos para que este processo seja um ciclo.

Karina Comissanha é arquiteta do Parque Tecnológico da UFRJ