Anprotec premia ações inovadoras

Anprotec premia ações inovadoras

22/12/2014

Fonte: Valor Online|

Uma fabricante carioca que produz microcâmeras para cirurgias e uma fornecedora catarinense de insumos para cosméticos receberam este mês o 18° Prêmio Nacional de Empreendedorismo, promovido pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores.

“Nossos parques tecnológicos e incubadoras já produzem empresas que fazem a diferença na base produtiva brasileira”, garante Francilene Procópio, presidente da Anprotec. “Mas precisamos avançar na evolução das ideias para modelos de negócios que impactem no desenvolvimento das regiões onde essas companhias atuam”.

Na categoria Melhor Empresa Incubada, a vencedora foi a Nanovetores, hospedada na incubadora Centro de Laboração para Tecnologias Avançadas (Celta), em Florianópolis. A companhia de 30 funcionários fornece insumos baseados em nanotecnologia para indústrias dos ramos cosmético e têxtil. Entre seus clientes estão marcas como Embelleze e Granado. Segundo o CEO Ricardo Henrique Ramos, o faturamento em 2014 deve alcançar R$ 2,5 milhões, R$ 1 milhão a mais do que o valor registrado no ano passado.

Um dos carros-chefes da Nanovetores é um composto para o tratamento de celulite que promete reduzir o efeito “acolchoado” em uma hora. “Após a aplicação, ele libera 80% do conteúdo durante um período de oito horas”, explica. Segundo Ramos, a invenção tem ação anti-inflamatória. Leva chá verde, cafeína e amica. Estudos da empresa indicam que, em apenas uma aplicação, 67% dos voluntários dos testes relataram uma melhora de 10% no efeito de pele conhecido como “casca de laranja”.

“Nossos insumos encapsulados melhoram a liberação de ativos nos produtos em que são aplicados”, diz Ramos, que divide a sociedade da empresa com a esposa, Betina Zanetti Ramos, PhD em química e farmácia. Na área têxtil, os compostos, segundo o CEO, podem impregnar partículas às fibras de tecidos, que levam para a pele propriedades antimicrobianas e hidratantes, além de repelentes a insetos. “As substâncias são liberadas por meio do contato da roupa com a pele e da temperatura do corpo”.

Criada em 2008, a Nanovetores já recebeu investimentos duas vezes, em 2012 e 2014, pelo Fundo Criatec, com rodadas que somam R$ 5 milhões. O Criatec é uma iniciativa do BNDES, com apoio do Banco do Nordeste (BNB), para investimentos de capital de risco (compra de participação acionária) em empresas nascentes com perfil inovador.

Com um portfólio de mais de 80 itens, a Nanovetores exporta produtos por meio de dez distribuidores em 18 países, como Turquia e Filipinas, e faz venda direta para clientes na Colômbia e França.

Para continuar crescendo, Ramos chama a atenção para a falta de velocidade de concessão de patentes no mercado nacional, que pode ultrapassar sete anos. A empresa tem sete patentes depositadas e três em fase de avaliação. “Desde 2007, esperamos a análise de um dos registros”, diz o empresário que optou por fazer os depósitos de certificados na Suíça. “É mais barato e leva apenas seis meses para serem aprovados”.

Na categoria Melhor Empresa Graduada, a vencedora foi a Confiance Medical, originada na Incubadora da Coppe/UFRJ. A companhia desenvolve, vende e aluga nove famílias de equipamentos de vídeo cirurgia que prometem tornar as intervenções menos invasivas e com cicatrizes menores. Segundo o sócio Cristiano Brega, o faturamento de 2014 deve chegar a R$ 12,5 milhões e a previsão para 2015 é alcançar R$ 15 milhões.

Brega planeja receber investimentos via fundos de private equity, lançar novos produtos que integrem centros cirúrgicos a sistemas de telemedicina e aumentar o número de funcionários de 43 para 65, no próximo ano. Até 2016, a ideia é iniciar exportações para sete países, como México e África do Sul.